Zerando Minha Steam – Semana 7 – Valkyria Chronicles - Nerdaiada

Zerando Minha Steam – Semana 7 – Valkyria Chronicles
mar
04

Zerando Minha Steam – Semana 7 – Valkyria Chronicles

maxresdefault-6

Esqueci de dizer na semana passada, mas agora estou jogando Valkyria Chronicles. Um jogo certamente muito diferente dos que eu joguei até agora no Zerando Minha Steam. Para começar é um RPG tactics com elementos bem diferentes dos que normalmente se encontra dentro do gênero e, além disso, possui uma duração muito maior do que Resonance e A New Begginning. Se eu demorei 3 semanas pra zerar esses dois, devo demorar umas 10 pra finalizar Valkyria Chronicles.

O que logo é percebido no jogo são seus gráficos. É todo em cel shading para dar aquele aspecto de anime e a forma como as cenas são mostradas colaboram ainda mais para isso. Valkyria Chronicles conta a história da Second Europan War (Segunda Guerra Europeia), que é basicamente a Segunda Guerra Mundial adaptada para um universo praticamente igual ao nosso, mas com algumas diferenças. O minério ragnite, que pode ser usado desde para medicamentos a combustível para tanques é uma dessas divergências e, nessa situação, ele é o principal catalizador da guerra.

Nesta Segunda Guerra Europeia, os lados estão bem definidos. Há o Império, com seus uniformes obviamente vilanescos e uma inspiração muito perceptível na Alemanha nazista e então a Atlantian Federation (Federação Atlantiana), uma união de nações que se colocou contra o Império, basicamente sendo composta por países que substituem a Inglaterra e a França. Não há esforço para acobertar as referências. O mundo de Valkyria Chronicles tem uma geografia semelhante à nossa, não é idêntica, mas é possível reconhecer paralelos de vários locais, como a Inglaterra e a Itália. Inclusive, os mares Atlântico e Mediterrâneo conservam o seu nome.

1

A história começa na nação de Gallia. Lá, logo é apresentado aos jogadores os personagens Welkin e Alicia. Welkin é um estudante de biologia que está retornando para usa cidade natal, Bruhl, para ajudar sua irmã a evacuar. Enquanto Alicia faz parte da milícia da cidade, buscando proteger o local de incursões imperiais enquanto a cidade não é evacuada. Gallia estava neutra nessa guerra, no entanto, seu solo rico em ragnite provou ser um alvo tentador para o Império, que precisa de uma linha de suprimentos para manter-se no combate contra a federação. Então, quando tudo parecia calmo e pacato em Bruhl, soldados imperiais acompanhados de um tanque chega a cidade, cabendo a Alicia e Welkin proteger os portões enquanto as últimas pessoas evacuam.

A narrativa do jogo é algo bem interessante. Acontece que a história é retratada como se fosse o livro de uma jornalista correspondente de guerra, coletânea chamada de “On the Gallian Front” (No Front de Gallia). Então, o jogador não mexe personagem algum fora dos combates, mas vai passando as páginas e vendo os capítulos do livro. Em geral, cada “capítulo” do livro é uma cena de alguns poucos minutos ou então um combate. Por um lado isso é interessante, pois o jogador pode parar de jogar a qualquer momento… por outro, eu vi umas cenas, voltava para o livro e ficava com vontade de parar de jogar. Mas como eu falei, já não estou mais tão acostumado para jogar durante longos períodos e isso provavelmente é a causa dessa sensação.
Em todo caso, depois da defesa de Bruhl, que constitui prologo e tutorial do jogo, os protagonistas acabam ingressando o exército de Gallia, já que em situação de guerra todos os jovens são obrigados a servir. Nesta etapa deu-se a formação do Esquadrão 7, chefiado por Welkin, que se tornou tenente.

2

Uma coisa interessante foi que precisei recrutar soldados para o esquadrão, até vinte soldados. Imaginei que todos seriam personagens genéricos, mas acabei me deparando com mais de vinte personagens com características e personalidade bem distintas. Todos tem vozes diferentes (apesar de ser possível que compartilhem dubladores) feições diferentes e até mesmo uma biografia. Os que me saltam a memória agora é Coby, um velho de quase 60 anos que foi veterano na guerra passada e tem uma desvantagem por causa de um ferimento nas costas e uma garotinha cujo nome esqueci e que tem 12 anos. Não sei como diabos ela entrou no exército, mas tava lá. Claro que esses personagens não vão ter influência nenhuma na história, mas serem diversificados assim serve para criar toda uma identidade e conexão com o esquadrão.

De início, eu gostei do jogo. Mas tenho um fraco por JRPGS e jogos estilo tactics. Vamos ver se minha empolgação com ele continua.

 

Tempo total de jogo: 3 horas

Total do zerando minha steam: 20 horas

About Renan Barcellos

Na maioria das vezes escritor, Renan também é estudante de jornalismo e programador. Mas na verdade tenta fazer tanta coisa diferente que nem sabe o que colocar aqui.

Leave a comment

Procurar

Facebook

Nerdaiada no Twitter

Error code 89: Invalid or expired token.