Zerando Minha Steam – Semana 8 – Valkyria Chronicles - Nerdaiada

Zerando Minha Steam – Semana 8 – Valkyria Chronicles
mar
11

Zerando Minha Steam – Semana 8 – Valkyria Chronicles

maxresdefault-6

O Valkyria Chronicles tem um estilo de combate curioso. Ele mistura a fórmula normal dos tactics com algumas noções de action e elementos de RTS.

Mas a maior parte vem do tactics mesmo. Nos combates, o jogador tem diversos personagens, até um máximo de 9 no momento. No entanto, não é como se cada um deles tivesse um “turno” próprio. Quando chega a vez do jogador agir, ou melhor, comandar as suas tropas, existe um limite de ordens que podem ser utilizadas. Utilizar cada personagem gasta uma ordem, utilizar o tanque gasta duas ordens.

Um esquema bem simples. E que traz algumas possibilidades interessantes. Por exemplo, alguns personagens são “oficiais”, digamos assim. Mecanicamente, não possuem nenhuma diferença. No entanto, a presença deles no campo de batalha garante uma “ordem” extra. O que acaba sendo muito importante, já que isso garante uma ação que pode matar um inimigo e/ou um movimento que pode salvar um soldado. A morte desses oficiais pode ser bastante penalizante, já que diminui a eficiência do time como um todo.

Essa foi a parte que gostei desse sistema. Eu tinha lá a minha quantidade de ordens. Em geral, por volta de nove, e aí selecionava um personagem que eu iria controlar, andava no mapa com ele – livremente, pois não existe grid e sim uma barra com a quantidade máxima que o personagem pode se mover – escolhia um alvo, mirava e atirava. No entanto, depois de um tempo eu comecei a ver problemas nesse esquema todo.

Olha, talvez a questão não seja exatamente o sistema em si, mas talvez a forma como os mapas de combate e a I.A dos inimigos funcionou. Mas na maioria das vezes eu não conseguia ver o fluxo do jogo funcionando de uma forma interessante. Como é possível utilizar o mesmo personagem mais de uma vez, eu acabava usando um mesmo personagem várias vezes, avançando com ele, e então atirando em vários inimigos. Dentro de um jogo de estratégia, isso acaba me parecendo algo meio idiota de ser possibilitado.

Tudo bem, existem vantagens em avançar com vários personagens e ir posicionando eles de forma apropriada. Também existem penalizações de avançar de forma despreparada: os inimigos vão atirando conforme o personagem se movimenta sem proteção. No entanto, isso não é tão difícil de ser contornado e a forma como movimentação e posicionamento são feitos no jogo é meio idiota. Só é possível pegar cobertura em alguns locais pré-determinados pelo jogo, o que limita bastante as estratégias que podem ser escolhidas para o posicionamento e a forma como os combates se dão não oferece muito desafio.

Existe méritos na forma como o jogo foi idealizado. O próprio tema dele é bem original para o jRPG. Mesmo assim, não convence. Talvez conforme o jogo avance isso comece a mudar, mas da forma como eu estou percebendo a experiência, não vai fazer muita diferença… E a história até o momento não fez muito para ajudar. Ainda está no início, contudo, e isso pode vir a mudar.

Até o momento, só continuo jogando Valkyria Chronicles porque sou obrigado. Não fosse isso, já teria passado para outra coisa.

About Renan Barcellos

Na maioria das vezes escritor, Renan também é estudante de jornalismo e programador. Mas na verdade tenta fazer tanta coisa diferente que nem sabe o que colocar aqui.

Leave a comment

Procurar

Facebook

Nerdaiada no Twitter

Error code 89: Invalid or expired token.