Capitão América Guerra Civil - Resenha Crítica Nerdaiada [Contém Spoilers] - Nerdaiada

Capitão América Guerra Civil – Resenha Crítica Nerdaiada  [Contém Spoilers]
maio
05

Capitão América Guerra Civil – Resenha Crítica Nerdaiada [Contém Spoilers]

Adaptações de histórias em quadrinhos realizadas pela Marvel/Disney vieram a ser rotuladas nas redes sociais por parte do público como “colorido demais”, e pouco  “maduras” para filmes de heróis em contraste com sua concorrente cinematográfica, a DC/Warner. Desde O Soldado Invernal, e agora com Capitão América Guerra Civil ,estão aí filmes que podem provar o contrário.

De fato  o Universo Cinematográfico da Marvel (MCU) possuí piadas, seja como recurso de roteiro, resultando em piadas forçadas, ou as que são inseridas manifestando a personalidade do personagem, e que se enquadram no contexto da cena, possibilitando maior diversão ao público.

Porém é notável o entendimento por parte do Marvel Studios com esses questionamentos, e neste longa-metragem visualiza que os heróis estão em conflito com seus próprios atos tornando a Fase 1 e 2 da Marvel as causas que refletem todos os acontecimentos no terceiro filme de Steve Rogers. O filme se torna maduro porque não existe uma polarização de um lado estar certo e outro errado, bem e mal, isto sempre foi comum no MCU, agora em Guerra Civil isto não se torna evidente, pois os dois times estão certos, e entram em conflito para saber qual seria a ideal solução para um problema.

Este problema acontece após “os heróis mais poderosos da terra” precisarem tomar uma decisão sobre o Tratado de Sokovia, um acordo como consequência do governo para os Vingadores deixarem de ser iniciativa privada e responderem a ONU pelos seus atos quanto as ameaças ao planeta, e a partir deste momento inicia-se o conflito, entre os que assinaram o tratado e os que não desejam se submeter ao governo.

As motivações dos personagens desta adaptação cinematográfica são mais pessoais, porém não se limitam a apenas o Soldado Invernal. É indiscutível sua grande relevância a trama, porém mesmo antes do filme ser lançado, o público vinha questionando se tudo seria em torno de Bucky Barnes. A resposta é não, o filme não gira em torno dele, o companheiro do Capitão América é apenas utilizado pelo vilão Zemo como catalizador para complicar ainda mais o conflito que já estava estabelecido entre os heróis.

Novos em filmes com os vingadores, o Homem Formiga e o Homem Aranha foram os destaques nas cenas de ação, eles foram a arma secreta de cada time com seus poderes únicos e não conhecidos pelos Vingadores. Scott Lang consegue mais uma vez ser uma personagem que entretêm o público fazendo com que os fãs vibrem com ele ser “o cara”. Sobre o nosso Herói Aracnídeo temos uma introdução ao herói adolescente momentos antes que contextualizam de forma direta o motivo dele estar ali, e a partir das cenas em que o “escalador de paredes” entra em combate, ele deixa bem explicito tudo que está pensando enquanto luta contra o time do Capitão América. Porém apesar dos destaques, percebe-se no filme que todas as personagens estão com suas convicções e em uma sinergia grandiosa, uma luta em que os heróis cooperam combinando seus poderes de forma nunca antes vista, existe um porquê de cada um deles estar ali, e o espectador não se perde no espaço das lutas que ocorrem simultaneamente.

Pantera Negra conseguiu ser formidável não apenas nas cenas de ação como em toda trama, mostrando que o personagem está chegando com tudo no MCU, apesar de ser fortemente motivado por emoções, ele é o mais convicto das suas ações em todo o grupo, o que torna claro que está ciente de todos seus atos no filme.

Apenas Wanda, a Feiticeira Escarlate,acaba não tendo uma posição tão firme. Segundo o seu passado de ódio a Tony Stark, ela teria dificuldades em tomar o partido deste herói, mas isto tinha sido superado em Era de Ultron, e o contexto em que as cenas ocorrem dão a entender que os conflitos internos da heroína não iriam levar ao time do Capitão América.

O filme possui a personagem Zemo como vilão que conhece seus próprios limites e que está sentimentalmente perturbado pelas ações dos heróis, este inimigo dos Vingadores interpretado por Daniel Brühl não precisa de flashbacks para mostrar sua motivação, sua atuação dispensa isso, Zemo é um personagem que “coloca lenha na fogueira” analisa todos os momentos ao próprio favor para atingir seus objetivos. Porém mesmo conseguindo seu objetivo, no terceiro ato do filme o próprio vilão descarta elementos que foram apresentados na trama que poderiam ser melhor desenvolvidos em futuros filmes.

Anthony e Joseph Russo dirigiram o filme mais envolvente para os heróis da Marvel. O filme se conclui de forma emocional, com vários personagens abalados, o terceiro filme “solo” do Capitão América mudará para sempre todo o Universo Cinematográfico da Marvel para os Vingadores e seria interessante não limitar esta repercussão apenas aos filmes, mas também as séries de TV que estão no mesmo universo.

About André Tapioca

Estudante de Cinema, Editor de vídeo do Nerdaiada, Cosplayer, e sempre pronto para qualquer desafio, seja em jogos ou mesmo no próprio trabalho.

Leave a comment

Procurar

Facebook

Nerdaiada no Twitter

Error code 89: Invalid or expired token.