Esquadrão Suicida Entre Acertos e Erros - Nerdaiada

Esquadrão Suicida Entre Acertos e Erros
ago
04

Esquadrão Suicida Entre Acertos e Erros

Esquadrão Suicida é o filme inspirado no time de vilões da DC comics, formado por Pistoleiro (Will Smith) Arlequina (Margot Robbie), Crocodilo (Adewale Akinnuoye-Agbaje), El Diablo (Jay Hernandez), Capitão Bumerangue (Jai Courtney), chantageados por Amanda Waller (Viola Davis) que idealiza a equipe para combater possíveis ameaças ao governo dos EUA.

O filme preocupa-se em apresentar os membros do Esquadrão um de cada vez e como se depararam com aquela situação. Uma cartela é apresentada ao espectador como uma espécie de ficha criminal do personagem e (se houver) o ponto fraco dele. Estes 30 minutos iniciais com as apresentações lineares chegam a ser exaustivas justamente por serem flashbacks que mesmo necessários, poderiam ser melhor trabalhados, ainda assim alguns cameos interessantes reascendem a atenção, e faz esperarmos por mais.

Pistoleiro consegue mostrar o porque que ele é o mercenário e atirador mais perigoso do mundo, não errando um tiro que não estivesse sob sua mira. Sua necessidade dramática é conseguir que sua filha tenha uma vida comum e educação de qualidade mesmo que sem ele presente. É o personagem com mais falas no filme, e Will Smith não faz feio na interpretação.

O Crocodilo foi um das personagens menos aproveitadas, ele tem seus momentos de grandeza, mas isso se repercute apenas no final do filme. Ele é um meta-humano em que sua necessidade dramática é voltar aos esgotos. Isso poderia ser trabalhado melhor.

El Diablo por mais que o personagem possa soltar fogo pelo seu corpo, o personagem é desenvolvido como uma pessoa de “pavio longo” devido a morte de sua esposa e filhos. Ele prefere evitar usar seu fogo para evitar mais problemas. Porém seu desenvolvimento, assim como o Crocodilo, é apressado perto dos minutos finais de filme.

Capitão Bumerangue é excêntrico, e louco, parecendo até que está constantemente bêbado. É um ladrão de bancos que se sobressai pela sua loucura. Ele é um personagem que não é insano, mas tem atitudes mais aleatórias que qualquer outro personagem no filme isso torna o personagem interessante. E seu objetivo é sair da situação do Esquadrão o mais breve possível.

Apesar do Crocodilo ser uma das personagens menos aproveitadas o troféu vai para a Katana ou Tatsu Yamashiro (Karen Fukuhara), temos apenas um flashback, e cenas de ação com ela. Nada mais para acrescentar a personagem, ela simplesmente está ali.

Eu falei dos membros cada um individualmente mas neste paragrafo irei falar de Arlequina e Coringa. A personagem interpretada por Margot Robbie é um pouco polêmica, ela não deixa de ser uma personagem que sabe se defender durante a missão no Esquadrão, mas suas necessidades dramáticas estão atreladas a ser resgatada pelo Coringa, a romantização do casal de fato aconteceu na telona. Para quem tem conhecimento dos personagens, a Arlequina sofre de síndrome de Estocolmo, uma relação diretamente ligada a pessoa amar seu agressor. Porém no filme vemos um Coringa que se preocupa com a Arlequina e que fará de tudo para resgatar sua amada. E quando ela não está pensando no Coringa ela apenas chama atenção para si mas não é algo louco. A única categoria que a Arlequina poderia se encaixar de certa forma na insanidade no filme então era amar um agressor porém isso não acontece.

O Coringa de Jared Leto não foi um dos pontos fortes do filme, inevitavelmente ao comparar com o seu antecessor Heath Ledger vemos um personagem diferente. Enquanto o antigo Coringa era um antagonista que era um “bandido” que causava o caos, o novo agora é uma especie de Gangster/Cafetão. Sua necessidade dramática é salvar sua mulher do Esquadrão de Amanda Waller.

A antagonista principal tem como proposito destruir a humanidade que não a venera mais, algo clichê, porém justificável devido sua natureza caótica, ela é a responsável por toda destruição em massa no filme. Um inimigo sobrenatural que particularmente o Esquadrão não seria capaz de enfrentar.

Os integrantes do grupo de vilões são desenvolvidos individualmente e não lutam cooperando um com o outro exceto quando está se finalizando o segundo ato do filme e por isso não podemos retratar os membros como “amigos” e sim como “colegas”. Porém entre acertos e erros é um filme muito bom para ver sem levar a sério, porém caso o espectador queira levar o filme a fundo, não passa de um filme regular. E é um alivio em relação ao seu antecessor Batman vs Superman.

About André Tapioca

Estudante de Cinema, Editor de vídeo do Nerdaiada, Cosplayer, e sempre pronto para qualquer desafio, seja em jogos ou mesmo no próprio trabalho.

Leave a comment

Procurar

Facebook

Nerdaiada no Twitter

Error code 89: Invalid or expired token.