Tokido campeão da EVO, ou como os jogadores ainda são humanos. - Nerdaiada

Tokido campeão da EVO, ou como os jogadores ainda são humanos.
jul
23

Tokido campeão da EVO, ou como os jogadores ainda são humanos.

Quando o assunto é Street Fighter, eu não consigo ir muito além do spam de hadoukens em amigos que são tão ruins quanto eu. Eu não sigo o cenário profissional e não tenho a habilidade para executar combos complexos, mas todo verão eu me comprometo a assistir a EVO, a mais concentrada dose de ação de Street Fighter que sempre culmina em espetaculares grand finals.

O evento de três dias e nove games é perfeitamente engendrado para criar histórias incríveis: qualquer um pode entrar, dando oportunidades para surpresas e raivas, e o formato de eliminação dupla adiciona uma tensão extra enquanto um jogador inevitavelmente abre caminho pela chave dos perdedores (‘Loser’s Bracket’ ou apenas ‘Loser’s’) e voltar para se vingar na luta final. É um hit hiper concentrado de tudo que faz os games de luta serem o que são, e é esse o motivo que leva fãs casuais como eu voltar da EVO todos os anos zumbindo de excitação.

Enquanto se assiste a EVO você realiza que há muito mais no Street Fighter além da habilidade de lembrar de combos e executar ataques especiais. Como qualquer esporte competitivo, Street Fighter é sobre estratégia, tempo, jogos mentais, momentum e a narrativa que entrelaçamos de tudo isso entre partidas. E tudo isso é perfeitamente exemplificado na grande final de Street Fighter 5 deste ano, que foi uma partida entre o veterano japonês Hajime “Tokido” Taniguchi e a estrela americana em ascensão Victor “Punk” Woodley.

E, a melhor parte, vocês não precisam saber qual é o “botão” do shoryuken pra se encontrar na ponta de sua cadeira assistindo essa partida, e ela também lhe dá a porta de entrada perfeita para entender a psicologia e o hype dos games de luta.

A grande final desse ano foi essencialmente uma aula de Street Fighter, e Tokido era o professor. Um pequeno background antes de começarmos: Tokido, agora com 32 anos, se inscreveu no seu primeiro torneio de games de luta aos 12 anos e vem competindo desde então, ainda que só tenha se tornado profissional em 2011. Ele venceu a EVO nos games Capcom vs SNK em 2002 e no Super Street Fighter 2 Turbo em 2007, mas não teve uma vitória concreta no torneio desde então. E não foi por falta de tentativa: Tokido vem competindo no Street Fighter 4 e 5 por anos, venceu outros torneios, mas não venceu a EVO. Ano passado ele nem ao menos ficou entre os oito primeiros, mesmo sendo um favorito. Mas neste ano ele voltou para se vingar, jogando com o recentemente adicionado ao Street Fighter 5, Akuma, que vem sendo sua principal escolha há muito tempo.

Punk, enquanto isso, passou pelo torneio no final de semana com um recorde sem derrotas (ele perdeu um round aqui e ali, mas não perdeu nenhuma partida até a final. Todas as partidas na EVO são melhores de 3). Isso inclui ter derrotado Tokido e tê-lo mandado para a loser’s bracket.

Como veio da loser’s bracket, Tokido tinha que vencer dois sets para igualar a competição (ou seja, quem vem da loser’s bracket tem que ganhar 5 sets de lutas, enquanto quem vem da bracket normal só precisa vencer 3 sets). No primeiro set, Punk parece muito forte, e os round são muito parelhos, mas Tokido vence dois sets consecutivos e reseta a partida. Inclusive, Tokido vence um dos sets usando uma provocação, que foi um floreio desnecessário que atordoou os narradores da mesma forma que irritou Punk também. E é aqui que, mesmo se vocês não forem experts em Street Fighter, vocês podem notar que Punk começa a decair.

Tenha em mente que Punk tem 18 anos, sentado em um estádio com uma plateia estimada em 10.000 pessoas, enquanto outras 200.000 assistem online e deus sabe quantas pessoas assistem pela ESPN. Eu fico nervoso jogando um game com uma plateia de duas pessoas ao redor de mim. Ele acabou de perder três partidas pela primeira vez em todo o fim de semana, e desistiu de uma vitória fácil.

O que Punk faz? Depois de algo em torno de dez segundos ele sinaliza positivamente com o dedão para começar outra partida.

Tokido responde esmagando-o com perfect. Punk tenta responder e causa um bom dano no próximo round, e Tokido vira o jogo. Pela primeira vez, Punk está perdendo.

“Fique à vontade, respire um pouco. Não se apresse para a próxima partida”, implorou o comentarista James Chen. Mas não. Punk sinaliza novamente e eles começam o próximo game. Chame do que quiser: teimosia, burrice, mas Punk deveria ter voltado à seleção de personagens e se acalmar, buscar se recompor, e tentar mudar o momentum da partida. Mas ele não o fez.

Caso vocês tenham assistido todas as lutas de Tokido, vocês notarão algumas formas nas quais ele é consistente – combos fortes, usando um chute especial pulando para reposicionar-se, controlando o espaço com hadoukens e parecendo quase inabalável entre as partidas. Também tem algumas coisas que ele faz diferente. Em certo momento ele ataca com um agarrão aéreo que ele não utilizou em nenhuma das partidas desde as oitavas de final. Claramente pegando Punk de surpresa e Tokido usa isso para vencer duas partidas.

Tokido também joga de forma mais agressiva do que ele fez em partidas anteriores e vocês podem notar pelo ritmo do combate que ele está no controle em praticamente todos os rounds contra Punk. Isso é amplificado a medida em que eles são absorvidos pelo combate. Punk claramente começa a jogar mais e mais defensivamente, com medo de perder, bloqueando o massacre imposto por Tokido, ao invés de recuperar o controle. Momentum é algo difícil de quantificar, mas é possível de se sentir em Street Fighter, e não creio que tenha visto algo que exemplifique tão bem isso quanto nesta partida. A dominação concreta, acompanhada pelo semblante calmo e controlado.

Nada disso foi acidental, de acordo com entrevista dada por Tokido. Ele estava deliberadamente bloqueando o estilo agressivo de Punk. “Eu senti na winners (winners bracket), que ele queria me atacar. Ele queria acabar com tudo muito rápido. Então dessa vez, eu quis empurrar de volta e controlar. Funcionou.” Ele também alegou que: “Meu mau hábito é de ser otimista. Se eu estou pensando ‘oh, eu tenho uma boa chance [vai ser normal pra mim] perder’. Então só segui jogando bem. Essa é uma boa mentalidade.”

Tomar perfect (ou seja, perder sem causar dano ao adversário) é algo brutal, e Punk ainda não se recuperou disso, mas vocês podem ver ele balançar. Ele quebra a sequência de 3 rounds seguidos de Tokido, mas no outro round o mesmo deixa Punk em stun e aplica o Shun Goku Satsu – completamente desnecessário. Tokido poderia ter vencido com um jab. Ao invés disso, ele destruiu qualquer espírito de luta que Punk tinha.

Punk não desiste, mas ele claramente comete mais e mais erros que não deveria enquanto a partida continua, como por exemplo andar em direção a golpes básicos que Tokido transforma em combos brutais. Vocês podem dizer abertamente que acabou, e de fato, um erro dá a Tokido abertura pra um combo e a vitória final.

O troféu de Street Fighter é algo que Tokido persegue por volta de uma década, e numa entrevista ele fala sobre aprender a ser um melhor jogador e uma pessoa melhor após perder muitos (muitos mesmo) torneios. Se Punk tivesse vencido, seria uma história espetacular sobre um prodígio de 18 anos, mas ao invés disso, ganhamos algo mais iluminador. Tivemos uma partida que mostra como experiência e prática podem moldar um jogo; uma partida que mostrou como, assim como em qualquer esporte, mesmo os melhores jogadores são humanos e estão vulneráveis a pressão e nervos.

Tokido, por fim, poderia ter se gabado ou falado de sua performance quando foi entrevistado no palco logo depois do torneio, mas não o fez. Quando lhe foi pedido para que falasse algo de forma livre, ele pensa um pouco por um momento e diz: “Só tem uma coisa que eu gostaria de dizer. Games de luta [são]… algo tão fantástico”.

Amém, MurderFace.

 

Fonte/matéria original: http://www.pcgamer.com/evo-2017s-street-fighter-5-grand-final-was-like-the-last-15-minutes-of-a-rocky-movie/?utm_content=buffer0379a&utm_medium=social&utm_source=facebook&utm_campaign=buffer_pcgamerfb

About Robson Freitas

Gamer, herói e leitor em tempo integral -- Historiador nas horas vagas.

Leave a comment

Procurar

Facebook

Nerdaiada no Twitter

Error code 89: Invalid or expired token.